Buzz marketing e indicação: o quanto falam sobre o seu negócio?

O marketing é o segmento de negócio capaz de destacar uma empresa no mercado por meio da comunicação. Um trabalho que pode aumentar as vendas, gerar mais leads ou, até mesmo, aumentar sua presença no dia a dia dos consumidores. No post de hoje, nós vamos falar sobre duas estratégias capazes de atingir este último objetivo: o buzz marketing e o marketing de indicação.

Abaixo, nós preparamos um conteúdo completo sobre ambos os temas, com todos os detalhes que você precisa conhecer antes de investir em qualquer uma das duas metodologias no seu negócio. Confira!

O que é buzz marketing?

Em uma tradução literal, “buzz” quer dizer um zunido, zumbido ou rumor. Isso explica muito da sua definição, já que o buzz marketing é a metodologia capaz de fazer com que as pessoas falem sobre a sua marca ou empresa. Em resumo, é o “boca a boca” profissionalizado e potencializado pela tecnologia digital e a internet.

Em tempos de redes sociais, podemos dizer que o buzz marketing reúne as técnicas necessárias parar gerar engajamento. Palavra que anda na moda entre os profissionais de marketing digital, mas que existe há muito tempo. Duvida? Pense nos circos de antigamente.

Quando chegavam em uma nova cidade dificilmente havia condições de obter material gráfico para divulgar o espetáculo. Qual era a alternativa então? Juntar meia dúzia de artistas e apresentar pequenos números nos locais mais movimentados da cidade. Isso gerava curiosidade no público e, rapidamente, o nome do circo estava na “boca do povo” e os ingressos esgotados.

Um exemplo que mostra a essência do buzz marketing e a efetividade que ele pode ter para gerar interesse por um serviço ou produto.

Objetivos

Muitas pessoas se confundem quando pensam nos objetivos do buzz marketing, achando que basta fazer com que os outros saibam que a marca existe e compartilhem sua mensagem. Na verdade, ele vai além disso.

O buzz marketing não tem como objetivo simplesmente impactar as pessoas. É uma estratégia que busca que elas não só conheçam a marca mas também conversem sobre a sua mensagem. O desejo é ganhar a atenção da audiência e mantê-la entretida falando sobre sua empresa com outros indivíduos.

Principais estratégias

Uma marca virar assunto nas mídias sociais não é um fato aleatório e você já viu que existe uma metodologia por trás disso. Isso é tão verdade que o publicitário Mark Hughes escreveu um livro sobre o tema — o “Buzzmarketing” —, resultado de um estudo aprofundado que fez sobre o assunto.

Na obra, ele destaca que existem seis tipos de assuntos que podem desencadear o efeito de “buzz” desejado. São gatilhos que, quando ativados, ajudam a garantir que haja interesse das pessoas na discussão. Ele chama de “botões do buzz” e são os seguintes:

  • tabu: como o próprio nome já diz, quando o assunto é polêmico, “proibido”, e gera discussões em que as pessoas precisam optar por um dos lados.
  • incomum: gatilho ativado quando as pessoas percebem algo muito fora do padrão com o qual estão acostumadas;
  • extraordinário: quando as pessoas enxergam algo incrível, fantástico, que parece ser sinônimo de satisfação garantida. O famoso “todo mundo gosta”;
  • chocante: o estilo de buzz mais comum que existe, afinal, tudo o que choca vira motivo de comentários;
  • hilário: o ser humano, por natureza, adora tudo o que lhe faz rir e, por isso, é natural que ele se sinta atraído por quem gera essa reação;
  • segredo: assim como adora o que faz rir, seres humanos também são naturalmente curiosos e adoram investigar pistas de coisas escondidas.

Para começar, não há outro caminho: é preciso que você analise o contexto do seu negócio para entender qual dos gatilhos faz mais sentido para sua empresa e como um discurso pode ser gerado a ponto de ativar o gatinho escolhido.

O que é marketing de indicação?

Você já deve ter passado por isso alguma vez na vida. Você comprou um produto ou contratou o serviço de uma empresa e a experiência foi incrível. Desde o primeiro contato com a marca até o pós-venda, tudo perfeito. Tão perfeito que você resolveu falar para todo mundo que conhece sobre essa empresa, como ela é fantástica e como vale muito a pena ser cliente dela.

No momento em que fez tudo isso, você não apenas falou da empresa, mas também a elogiou muito, atuando como praticamente uma campanha de marketing. Isso mesmo, sua experiência foi tão incrível com a empresa que você se dispôs a fazer publicidade para ela — de graça!

Esse é um exemplo que mostra o que é o marketing de indicação. Quando o cliente deixa de ser apenas cliente e passa a ser também um ativo de marketing para a empresa. Um movimento que não obrigatoriamente precisa ser espontâneo e pode ser estimulado com ações da marca.

Objetivos

Frequentemente confundido com o buzz marketing, o marketing de indicação — também conhecido como marketing de recomendação — é a estratégia que tem como objetivo transformar seus clientes em promotores da sua marca. Ou seja, fazer com que eles indiquem novos clientes a partir de uma experiência altamente positiva com o produto ou serviço oferecido pela sua empresa.

De uma forma geral, podemos dizer que o objetivo principal é, então, gerar novos clientes e reduzir o custo da empresa com a aquisição deles.

Principais estratégias

Para conduzir seus clientes a promoverem sua marca, é preciso investir em determinadas ações e atitudes para gerar impacto real nas vendas. Os programas de fidelidade e recomendação costumam ser os mais efetivos nesse sentido. Ou seja, a oferta de benefícios reais para quem faz a indicação, como vantagens nas compras, brindes ou descontos.

Benefícios para quem recebe a indicação também ajudam muito a fidelizar e motivar ainda mais a recomendação. Ações como descontos na primeira compra, amostras gratuitas e períodos de teste grátis de um serviço são algumas das mais comuns.

Estão incluídas aqui também todas as iniciativas com influenciadores digitais — aquelas pessoas com um grande número de seguidores e notoriedade para um público específico, capazes de influenciar o estilo de vida dessas pessoas.

Funcionam juntos?

Como você pode perceber, a essência das duas metodologias é diferente. No entanto, o investimento em ambas pode ser complementar. Afinal de contas, elas buscam usar o conhecimento da marca perante seus clientes e seguidores para conquistar ainda mais notoriedade e vendas, claro.

Isso significa fazer as pessoas falarem sobre a sua marca e proporcionar uma experiência para que os clientes conquistados pelo buzz possam trazer novos leads para você trabalhar.

Os benefícios desse esforço podem ser muitos, mas os principais, sem dúvida, são o baixo custo dessas iniciativas e o alto alcance que elas podem gerar utilizando a internet e as mídias sociais. Isso sem falar na credibilidade que uma mensagem tem quando sai diretamente da boca de um cliente, e não da sua.

Aproveite que agora você já conhece as metodologias de buzz marketing e indicação, comece a investir na aplicação delas na sua empresa. Se você gostou do conhecimento compartilhado aqui e quer receber novos conteúdos na sua caixa de entrada, assine a nossa newsletter!

Deixe uma resposta