Cadastro de clientes: por que, quando, como fazer e mais!

Se pode ser difícil conquistar um cliente, mais ainda é mantê-lo. Afinal, para isso você precisa estreitar laços e cultivar um relacionamento com perspectivas de longo prazo. A boa notícia é que uma ficha de cadastro de clientes pode lhe ajudar nessa tarefa.

Além de aproximar o negócio do seu público, ele auxilia a redução do custo por venda, aumenta a previsibilidade do faturamento e encara com maior naturalidade as oscilações da economia.

Esse é um processo no qual dados importantes dos clientes são inseridos, atualizados, monitorados e analisados. Assim, é possível conhecer o comportamento e os interesses de cada um deles, garantindo uma tomada de decisões mais assertiva dentro da concessionária.

Mas, afinal, você sabe como realizar esse cadastro da forma correta? É o que veremos neste post. Acompanhe a leitura e tire todas as suas dúvidas!

Quais dados devem ser coletados no cadastro de clientes?

Para começar, o ideal é montar uma planilha no Excel com as informações básicas de cada cliente. Dessa forma, é possível ter um controle de quem são eles, de que estado são e a faixa etária, por exemplo. São elas:

  • nome completo;
  • sexo;
  • CPF e RG;
  • e-mail;
  • telefones de contato (incluindo número do WhatsApp);
  • dados de endereço;
  • data de nascimento;
  • profissão;
  • todas as informações sobre as compras já realizadas (data, horário, produto/serviço).

Quando voltado para clientes que são pessoas físicas, esse cadastro de clientes costuma ter um número ainda maior de dados, visto que o grau de detalhamento sobre o consumidor ajuda a determinar ações mais direcionadas.

Podem ser incluídos, por exemplo, o estado civil, dados profissionais e do cônjuge etc. Informações como a profissão e os hobbies do cliente também são proveitosas. É preciso, porém, ter muito cuidado ao solicitar ou reunir esses dados: se o cliente achar que a sua privacidade está sendo invadida, o cadastro não terá o resultado desejado.

O que pode ser feito com os dados coletados?

Ao armazenar diversos dados sobre a sua rede de clientes, torna-se possível fazer um estudo vasto para compreender as características gerais do seu público e delinear um determinado padrão de consumo. Daí, é fácil identificar os clientes que consomem mais e quais produtos apresentam uma demanda maior.

Esse processo de conhecimento e estudo do seu público auxilia a criação de novas estratégias de marketing, que poderão ser executadas e norteadas conforme as características analisadas. Além disso, com os registros realizados e o gerenciamento de prazos e formas de pagamento de cada um deles, fica mais fácil se atentar a situações de inadimplência e delinear as movimentações de entrada em seu caixa.

Além disso, realizando um bom programa de cadastro de clientes você pode observar com mais precisão a situação de cada um deles: quais têm pagamentos pendentes com a sua concessionária e quais são as datas previstas para os respectivos pagamentos. Você pode ainda realizar a gestão do histórico de pedidos de compra de cada um, classificando-os conforme a quantidade de produtos adquiridos por meio do relatório ABC de vendas por cliente.

Quais são os cuidados para garantir que o cadastro seja bem feito?

É essencial conscientizar suas equipes da importância de preencher o cadastro corretamente, com todas as informações necessárias, e informar as consequências de essa atividade não ser executada como esperado. Compensa também consultar os próprios clientes a respeito da definição dos dados do cadastro, se há algum dado que pode ser acrescentado ou retirado.

Isso é válido tanto para as equipes de cadastro quanto de marketing, vendas e assessoria de cobrança. Afinal, como lidam com esse registro no dia a dia, são essas pessoas que terão mais propriedade para saber o que é necessário manter no formulário.

Caso exista uma base de dados, o indicado é revisá-la periodicamente, avaliando quais alterações e atualizações devem ser realizadas. Não seria nada agradável — nem para a empresa, nem para o cliente — ligar para um cliente com os seus dados desatualizados no sistema, certo?

Esse saneamento, aliás, é essencial para que os dados dos novos clientes e dos mais antigos estejam padronizados, em conformidade com os requisitos definidos. Além disso, auxilia a identificação dos clientes que estão ativos e inativos, norteando melhor o tipo de ação a ser realizada.

Quais são as tendências atuais de comportamento dos consumidores?

De fato, o comportamento dos consumidores está mudando com o passar dos anos. No contexto da crise econômica no Brasil, por exemplo, o consumidor médio se viu com o poder de compra mais reduzido. Desse modo, tornou-se necessário reanalisar com mais cautela algumas decisões que, até então, eram tomadas mais facilmente, de maneira a poupar dinheiro a longo prazo enquanto não ocorre uma estabilização do mercado.

O setor automotivo é um dos que mais sentiu esses impactos. Um bom exemplo ocorreu em 2016 — o auge da crise — quando houve uma diminuição de cerca de 20% na venda de carros novos. Em 2017, ocorreu uma pequena recuperação, com um aumento de aproximadamente 9,23%, mas que ainda é considerado pouco tendo em vista o longo período de queda nas vendas.

A verdade é que a compra de veículos novos pesa no orçamento do brasileiro médio, que pode passar a ver a renovação da sua frota como algo desnecessário. Justamente por isso é tão importante inovar na sua concessionária, na forma da abordagem e fidelização dos clientes.

Quais ações poderão ajudar essa fidelização?

Uma concessionária que mantém o foco no cliente é aquela que acompanha toda a sua experiência ao longo do processo de aquisição de um produto ou serviço — considerando alguns detalhes que fazem toda a diferença para o consumidor.

Isso significa que os colaboradores da área de vendas e pós-vendas não podem mais ser apenas diferenciados, eles têm que ter muito jogo de cintura para delinear o seu atendimento e superar as expectativas do público, provendo as necessidades de clientes com diferentes culturas e classes sociais.

Nesse cenário, também não se deve levar em conta somente o produto ou serviço e suas funcionalidades, mas também o ambiente onde o consumidor será atendido, o cumprimento do prazo de entrega, o tempo que o vendedor gastou atendendo esse cliente, e muitos outros aspectos que farão com que ele se sinta importante. Isso é o que o motivará a voltar à sua empresa para mais negociações.

Sem dúvida, se o cadastro dos clientes for feito da forma correta, com dados relevantes, e todas as etapas do processo de experiência do cliente serem realizadas com precisão, sua concessionária terá muito mais do que um cliente satisfeito. Terá um cliente fidelizado e disposto a conservar o relacionamento com a agência.

Por fim, vale ainda lembrar que um cadastro de clientes eficiente é primordial para que os setores da empresa consigam se comunicar com eficiência. E, para garantir tudo isso, é fundamental contar com um software ou aplicativo próprio, capaz de coletar com qualidade todas as informações dentro do mercado automotivo.

Gostou do nosso artigo? Agora que você já sabe mais a respeito do cadastro de clientes, entre em contato conosco e conheça nossos serviços!